Certamente você já conhece o processo de impressão e já ouviu falar que se trata de uma aplicação de tinta em um substrato, como o papel.

Mas, talvez, ainda não saiba que existem inúmeras técnicas disponíveis no mercado gráfico e, cada uma, com características específicas.

São pelo menos 10 métodos diferentes, e o que vai determinar o tipo de acabamento do material, em geral, é a capacidade e a velocidade de impressão, além da disponibilidade de cores e custo.

O que deve ser considerado antes de iniciar o processo de impressão?

Em primeiro lugar é necessário definir o próprio processo a ser utilizado. Durante o planejamento e produção do material o designer deve estabelecer, com o cliente, a técnica que atenderá o prazo e o orçamento disponível.

Para definir o método de impressão é importante conhecer as principais diferenças entre os dois tipos mais utilizados: o digital e o offset.

Digital: Muito mais rapidez e baixa tiragem

Materiais diferentes em baixa quantidade.

A impressão digital é a mais rápida, já que não requer todos os processos do offset, que falaremos a seguir.

As cores são aplicadas de uma única vez e sem intermediação, ou seja, a impressão é feita diretamente no papel, utilizando  o padrão CMYK, formado por quatro cores: Cyan (Ciano), Magenta (Magenta), Yellow (Amarelo) e Key (Preto).

Para baixas tiragens a impressão digital é perfeita, já que dá para produzir menos cópias, ao contrário do offset.

O benefício já é visto na redução dos gastos com o acerto de máquina e da facilidade de personalização e materiais com dados variáveis.

A gráfica tem uma maior facilidade de enviar as provas de impressão ao cliente antes de iniciar a produção de todo o material solicitado. Economia e redução de tempo.

O acabamento é outro destaque, já que é totalmente diferenciado.  Os nossos equipamentos digitais imprimem a partir de toner (polímero que se funde à superfície do papel e proporciona um material com cores mais saturadas).

Diferente do offset que utiliza uma mistura de óleo mineral, pigmento e outros aditivos com água que penetram no substrato para equilibrar a intensidade das cores, no processo digital todo o processo é mais ágil e limpo.

Cada vez mais crescem os números dos pedidos de baixa tiragem, e isto se deve a inúmeras razões, que podem ir da economia a estratégias diferenciadas e segmentadas de divulgação.

Ao invés de produzir 10.000 flyers genéricos, você pode fazer 500, ou até menos, para cada ação de marketing específica, como promoções especiais, datas comemorativas, eventos, etc.

Dados variáveis em Catões de Visitas.

Offset: mais tempo e quantidade

Impressão em offset

O termo traduzido do inglês significa “fora do lugar”. O motivo da escolha deste nome é que o processo de impressão é indireto, isto é, a tinta passa primeiro por um cilindro intermediário.

O primeiro passo é fazer a gravação da matriz (chapa metálica sensível a luz) a partir de um fotolito (algo parecido com os antigos filmes fotográficos).

O fotolito é colocado sobre a matriz e exposto a luz para fixação da imagem.

Em seguida é realizada a transferência da imagem da matriz, diretamente no papel, utilizando uma espécie de rolo de borracha.

Posteriormente vem a fase da revelação química, processo bem parecido ao de revelação fotográfica. O passo seguinte é a instalação de um cilindro específico da impressora.

As máquinas offset imprimem em dois tipos de sistemas de cores: o CMYK ou o Pantone.

  • O CMYK, também chamado de cor-pigmento, e como já dissemos, é formado por quatro cores. Cada cor possui um ângulo de finalização artística específica e é transferida individualmente à folha, formando a estampa. Se os tons fossem impressos no mesmo ângulo, as cores ficariam totalmente diferentes das estabelecidas durante o planejamento.
  • O PANTONE é formado por cores prontas e utilizado para proporcionar um tom mais exato.

Mas independente do sistema utilizado, um impresso offset colorido necessita de uma matriz para cada cor.

Outro ponto a destacar é que as impressoras offset podem ser rotativas (rolos de papel), que otimizam a impressão e produzem materiais em maior quantidade, ou alimentadas por folhas individuais. Além de tudo isso, a impressão pode ser feita em diferentes suportes e gramaturas.

Atualmente há uma opção mais viável que dispensa o uso do fotolito, o CTP (Computer-to-Plate). Ele cria a chapa de impressão direto do arquivo eletrônico. Isto possibilita melhor resolução e reduz a contaminação do material por fatores ambientais.

Compare e fique de olho no custo-benefício

Os dois tipos de impressão que mencionamos são bem interessantes, mas cada um tem uma vantagem bem peculiar, ou seja, vai depender da ação de marketing que você escolheu.

O importante é avaliar, juntamente com uma gráfica especializada, qual método será mais eficaz para sua campanha.

Assim você poderá optar pelo processo mais vantajoso. O offset é indicado para quem deseja imprimir grandes tiragens e possui prazo maior para receber os impressos.

Mas para quem tem um prazo mais apertado e precisa imprimir uma tiragem pequena, o melhor é recorrer a impressão digital.

Aqui na ABC Gráfica Digital dispomos dos dois tipos de solução.

Entre em contato e solicite o seu orçamento agora mesmo, ou deixe uma solicitação nos comentários que teremos imenso prazer em atendê-lo.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2019 ABC Gráfica Digital - Solução em FastPress. | by Cloudbe

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?